Como encontrar seguros?

Se estiver a preparar-se para a aquisição de uma casa em Portugal e necessitar de contratar um seguro de habitação, há muitas questões a considerar. É essencial que conheça os requisitos do Seguro de Habitação, o enquadramento legal e a oferta de mercado em Portugal.

Como principal agente comprador de imóveis, nós da Pearls of Portugal concedemos-lhe o melhor guia de Seguros ao Domicílio em Portugal. O nosso objectivo é ajudá-lo a encontrar uma proposta com a melhor relação custo-benefício. Trabalhamos com parceiros profissionais de seguros para o ajudar até ao fim, por isso não hesite em pedir a nossa ajuda.

QUAIS OS SEGUROS OBRIGATÓRIOS QUANDO COMPRA CASA EM PORTUGAL?

É obrigatório que os edifícios sob propriedade horizontal em Portugal tenham uma apólice de seguro contra incêndios que cubra o risco de danos causados pelo fogo nas suas paredes ou estrutura. A apólice deve cobrir cada unidade e as partes comuns do edifício (incluindo o telhado, escadas, elevadores e garagem).

O seguro contra incêndios deve ser subscrito pelos proprietários de cada unidade ou fracção, que podem optar por contratar uma apólice por conta própria (eventualmente incluindo-a numa apólice de seguro Multi-Risco) ou subscrever a apólice de seguro contra incêndios do condomínio, dentro dos prazos legais aplicáveis.

Se comprar uma casa em Portugal através de crédito com um banco ou qualquer instituição de crédito, ser-lhe-á exigido que contrate dois seguros diferentes associados ao seu crédito:

  • Um Seguro de Vida, que protege os titulares de crédito à habitação em caso de morte ou incapacidade.
  • Um Seguro Multirriscos Habitação, destinado a proteger o imóvel (que é dado em garantia) de uma série de danos que possa sofrer, incluindo o risco de danos causados ao imóvel por incêndio – ou seja, o seguro de incêndio obrigatório.

Estes seguros são necessários para garantir o montante dos empréstimos bancários ao seu cliente para a aquisição de uma casa ou propriedade.

Porque é que existem dois seguros exigidos para uma casa? O Seguro de Vida é exigido porque, como titular de um empréstimo, está sujeito a acontecimentos inesperados ou infortúnios. O seguro Multi-Riscos cobrirá os riscos associados à casa. Assim, ao subscrever como apólice de seguro, se algo acontecer quer ao titular do seguro quer à própria casa, a companhia de seguros cobrirá as despesas ou dívidas relacionadas, sempre dentro dos limites das condições específicas da sua apólice contratada, naturalmente. Assim, tomados em combinação, ambos os seguros servem para proteger o lar, a família, e as finanças do agregado familiar.

O QUE DEVE CONSIDERAR ANTES DE FAZER CONTRATO DE SEGURO DE CASA EM PORTUGAL

Existem muitas seguradoras a operar em Portugal. Os seguros são um sector em expansão e, como tal, caracterizado por muitas mudanças, entre as quais se contam fusões e aquisições frequentes. Consequentemente, o panorama das seguradoras portuguesas é feito de empresas portuguesas, mas também de empresas internacionais e mesmo de empresas que se associaram entre si para expandir a sua carteira de clientes.

COMO ENCONTRAR COMPANHIAS DE SEGUROS E MEDIADORES AUTORIZADOS EM PORTUGAL?

As actividades de seguros e resseguros e a mediação de seguros em Portugal são reguladas e supervisionadas pela Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF). Esta autoridade também regula a actividade dos fundos de pensões e das respectivas entidades gestoras.

Ao aceder ao site da ASF, pode pesquisar na sua base de dados várias informações importantes, nomeadamente todas as empresas que têm autorização para operar como:

  • Companhias de seguros;
  • Mediadores;
  • Entidades gestoras de fundos de pensões;
  • Histórico empresarial das companhias de seguros.
Pode também fazer uma pesquisa com base na nacionalidade das empresas, obtendo uma lista das mesmas:
  • Companhias de seguros nacionais que operam em Portugal;
  • Companhias de seguros nacionais que operam no estrangeiro;
  • Companhias de seguros estrangeiras que operam em Portugal através de uma sucursal.

NÃO SE FIQUE PELA PROPOSTA DE SEGURO DO BANCO (A NÃO SER QUE SEJA A MELHOR QUE ENCONTRE)

Embora o Seguro de Vida e o Seguro Multi-Risco sejam exigidos pelo banco que concede o empréstimo, ao comprar uma casa em Portugal não é obrigado a contratar estes seguros com esse banco. A menos que esteja seguro de que a proposta do banco é a melhor para si, não se contente com ela. Deve considerar uma pesquisa de mercado cuidadosa e contratar uma companhia de seguros que melhor satisfaça as suas necessidades.

Mesmo no caso de já possuir uma propriedade e procurar baixar o valor associado ao seguro Multi-Risco ou obter mais cobertura pelo mesmo preço ou mesmo um preço inferior, pode transferir a apólice para outra companhia de seguros.

Desde que as apólices de seguro incluam as coberturas e requisitos necessários exigidos pela instituição financeira que concede o crédito à habitação, é livre de contratar um Seguro de Habitação com qualquer companhia de seguros que opere legalmente em Portugal.

Mas há excepções a considerar.

Deve estar ciente de que, ao propor-lhe as condições de empréstimo, o banco poderá baixar ligeiramente o spread (em termos simples, o lucro obtido por um banco ao conceder um empréstimo) para o contratar como cliente, mas compensará esta vantagem aumentando o preço do Seguro de Vida ou de outros produtos que contrate. Assim, ao contratar produtos adicionais ao crédito, como seguros, o banco considera-os como bónus e poderá baixar o spread do empréstimo.

Em alguns casos, poderá haver uma disposição no contrato de empréstimo à habitação que estipula que, em caso de alteração de qualquer das condições, está sujeito à perda do bónus de spread (bonificação do spread) no crédito à habitação. Mas na maioria das situações, não é esse o caso e é livre de transferir o seu seguro sem qualquer penalização.

Um advogado pode informá-lo e aconselhá-lo sobre este e muitos outros requisitos e procedimentos importantes no processo de aquisição ou renovação da casa. Não perca o nosso guia de contratação de um advogado em Portugal (clique aqui para ler o guia completo).

COMPANHIAS DE SEGUROS, MEDIADORES, AGENTES INDEPENDENTES? VOCÊ ESCOLHE.

Em Portugal tem várias possibilidades quando se trata de escolher uma companhia de seguros de habitação. É de vital importância que faça uma boa pesquisa de mercado antes de seleccionar a agência com a qual vai contratar os seus seguros.

Tem 3 opções possíveis a considerar:

  • Companhias de seguros

Pode encontrar empresas de confiança que operam em Portugal há muitas décadas, tanto nacionais como internacionais. Fidelidade Seguros, Generali Seguros, Allianz Portugal (com o BPI Portugal como parceiro estratégico), Açoreana (que opera na região autónoma dos Açores), são alguns exemplos.

Existem também muitas outras companhias de seguros, mais jovens e fiáveis, às quais se pode recorrer para a Home Insurance, tais como a Prevoir ou a Seguro Directo.

  • Mediadores de seguros

Os mediadores de seguros também representam companhias de seguros, quer em exclusividade, quer trabalhando com várias delas.

Um mediador que trabalha com várias companhias de seguros opera de forma semelhante a um corretor de seguros. Como multi-seguros, a sua estratégia empresarial envolve a colaboração com várias seguradoras, o que significa que elas são sempre capazes de apresentar os produtos e contratos de seguros mais adequados às necessidades dos seus clientes. Isto permite aos clientes escolher entre várias propostas, de acordo com o aconselhamento especializado do mediador, após ter consultado o mercado e obtido as melhores condições em termos de preço e cobertura de risco.

  • Corretores de Seguros

Os corretores de seguros são formalmente independentes em relação a qualquer companhia de seguros. Trabalham com todo o mercado de companhias de seguros em funcionamento em Portugal. O aconselhamento e assistência multiopção e independente é especialmente relevante, uma vez que as seguradoras e agentes de seguros exclusivos não têm esta característica, e por isso dificilmente lhe oferecerão o seguro mais conveniente para as suas necessidades específicas.

Os corretores de seguros, tal como os mediadores multi-seguros, oferecer-lhe-ão a melhor solução para os seus fins, tendo em conta a melhor oferta num dado momento. Mas, ao contrário dos mediadores, os corretores trabalham com toda a oferta do mercado de seguros para lhe apresentar a melhor solução possível, independentemente de parcerias ou campanhas.

MDS, fundada em Portugal, e April (uma empresa francesa) são dois grandes corretores grossistas que operam em Portugal, bem como a nível internacional.

CONDIÇÕES QUE UMA PROPOSTA DE SEGURO DEVE INCLUIR

Após uma pesquisa cuidadosa da oferta de mercado, deverá solicitar várias simulações para as apólices de Seguro de Habitação pretendidas. Leve o seu tempo e compare os prós e os contras das diferentes possibilidades que lhe são oferecidas pelos prestadores de seguros de habitação. Para o fazer, as ofertas devem incluir e ser claras sobre todas as seguintes condições:

  • Quais são as coberturas da apólice?
  • Quais são as exclusões da apólice?
  • Quais são as opções de franquias e qual é o seu impacto no preço do seguro?
  • Factores que afectam o preço do seguro (por exemplo, ter um sistema de protecção contra roubo ou instalações de combate a incêndios).
  • Que critérios é que a seguradora utiliza para determinar o valor dos sinistros?
  • E, finalmente, qual é o montante do prémio?

Estes são os principais aspectos a analisar numa primeira fase. Outras informações de que deve estar ciente serão detalhadas nas entradas abaixo.

EMPRÉSTIMO DE SEGURO DE CASA EM PORTUGAL

A principal função do Seguro de Vida é proteger os titulares do empréstimo à habitação – os segurados – e a sua família em caso de morte ou invalidez permanente.

A sua importância vital é que salvaguarda o equilíbrio financeiro das famílias, assegurando o pagamento total ou parcial da casa pela seguradora em caso de morte ou invalidez permanente.

COBERTURA DE SEGURO DE VIDA – O QUE INCLUIR?

O prémio do seguro varia na mesma medida que as coberturas contratadas.

As coberturas mais comuns nos Seguros de Vida são:

  • Morte;
  • Deficiência Total e Permanente (ITP – Invalidez Total e Permanente);
  • Deficiência Absoluta e Definitiva (IAD – Invalidez Absoluta e Definitiva);

Os bancos requerem cobertura por morte e pelo menos uma das outras duas coberturas.

O ITP é o mais abrangente e pode ser accionado quando se está sujeito a um risco resultando num nível de incapacidade superior a 60%. Infelizmente, ninguém está livre de ter um ataque cardíaco ou mesmo um acidente que nos coloque numa cadeira de rodas. O ITP é, por essa razão, a cobertura mais aconselhável – até porque paga automaticamente pela casa.

O IAD é mais restritivo, uma vez que só pode ser accionado quando o nível de incapacidade do titular do empréstimo é tão elevado, praticamente em estado vegetativo, dependente do apoio de terceiros.

Como beneficiário do seguro, deve escolher as coberturas de acordo com os riscos a que pode estar mais propenso. Por exemplo, se a sua família tiver um historial de doenças cardíacas numa idade jovem, certifique-se de que contrai uma cobertura que salvaguarde estas eventualidades. Assim, para além das coberturas mais comuns acima mencionadas, considere a possibilidade de incluir coberturas como:

  • Diagnóstico de doenças graves;
  • Morte devido a doença, acidente ou acidente de viação;
  • Reembolso de despesas de hospitalização devido a um acidente.

Este não é um tema fácil e deverá discutir todas as coberturas possíveis a considerar no seu caso específico com um mediador ou consultor de seguros.

COMO É CALCULADO O PRÉMIO?

O prémio do Seguro de Vida é o montante a ser pago pelo seguro. É calculado de acordo com o capital segurado e a idade dos seus titulares.

Embora cada instituição bancária ou companhia de seguros tenha os seus próprios critérios internos, existe uma lógica simples e comum: quanto mais elevado for o risco para a seguradora, mais elevado será o preço a pagar pelo seguro.

Os critérios comuns que têm maior influência sobre o preço final são:

  • Em relação ao empréstimo ou aos segurados do ramo Vida:
    • A sua idade;
    • O seu estado de saúde;
    • A sua actividade profissional.
  • Em relação ao empréstimo em si:
    • O capital em dívida – o montante do capital devido pelos mutuários.

Dado isto, é uma prática normal das companhias de seguros pedir aos seus potenciais clientes exames médicos, historial médico ou doenças familiares comuns. Esteja preparado para fazer uma análise minuciosa ao seu estado actual.

PAGAMENTOS E AUMENTOS

Geralmente, os pagamentos de um Seguro de Vida domiciliário são efectuados mensalmente. Embora o capital segurado seja constante, o prémio é actualizado todos os anos, e esta não é uma característica negligenciável.

Não é raro que, por falta de informação ou aconselhamento, os titulares de apólices de Seguros de Vida desconheçam a evolução do prémio do seguro. Podem apenas notar a alteração do prémio quando há um aumento acentuado do seu valor de pagamento.

Acompanhe a evolução do prémio ao longo do contrato. Solicite uma revisão do prémio sempre que alterar algo na sua vida que diminua o risco para a seguradora. E, se o prémio do seguro se tornar inacessível, considere a possibilidade de alterar o seu seguro! A abundância de companhias de seguros em Portugal significa que há aqui muitas seguradoras que lhe oferecerão uma apólice mais vantajosa para o obter como seu cliente. Estar atento compensa.

SEGURO MULTI-RISCO DE CASA

seguro Multi-Riscos dá ao imóvel uma vasta gama de coberturas adicionais – além da cobertura obrigatória contra incêndios para todas as casas em regime de propriedade horizontal – proporcionando um maior nível de segurança para o imóvel segurado.

Quando um banco concede um empréstimo para aquisição de casa, obriga contratualmente os seus clientes a incluir um Seguro de Habitação para o imóvel, além de uma apólice de Seguro de Vida para os titulares do empréstimo, tal como mencionado acima neste guia. Mas mesmo nos casos em que não existe um contrato de crédito associado, o seguro Multi-Risco é um investimento importante que pode ser uma grande ajuda para os proprietários de casa no caso de eventos inesperados, tais como uma inundação ou um roubo.

SEGURO MULTI-RISCO E COBERTURAS

O seguro Multi-Risco inclui um conjunto de coberturas gerais, pré-determinadas, às quais é possível acrescentar outras coberturas complementares. As coberturas contratadas são o principal factor que determina o prémio do seguro.

As coberturas de Multi-Riscos podem incluir:
  • Danos causados por incêndio;
  • Danos causados no edifício, na própria fracção ou noutras fracções, pela ocorrência de inundações e deslizamentos de terras, trovoadas ou explosões, tempestades, ventos fortes ou ciclones;
  • Riscos eléctricos (danos em aparelhos eléctricos provocados por curto-circuito ou sobrecarga);
  • Danos estéticos na fachada do edifício residencial;
  • Danos devidos a problemas na distribuição de água e nos sistemas de esgotos;
  • Demolição e remoção de escombros;
  • Indemnização por roubo ou roubo;
  • Responsabilidade civil do segurado e das pessoas do seu agregado familiar por danos involuntários (indemnização de terceiros por danos causados – por exemplo, objectos que caiam da varanda da casa para pessoas ou veículos);
  • Protecção em caso de terramotos, erupções vulcânicas e tsunamis;
  • Alojamento temporário em caso de privação temporária da propriedade.

Considere cuidadosamente as características e riscos da sua casa e esteja ciente de que tudo o que não conste da lista de cobertura da apólice (as chamadas Condições Particulares da apólice) está excluído da cobertura.


PRÉMIO DE SEGURO MULTI-RISCO

prémio do seguro Multi-Risco é calculado de acordo com as coberturas contratadas. Embora em Portugal as empresas cobrem preços muito semelhantes para os Seguros de Habitação e de Vida, as suas propostas de apólices podem diferir substancialmente no que diz respeito às coberturas e exclusões.

Assim, implica que a sua decisão sobre qual a apólice de seguro a contratar não deve ser tomada unicamente sobre o seu preço. Por exemplo, se a casa a segurar for antiga ou localizada numa zona de alto risco de fenómenos sísmicos (como Lisboa ou Algarve), deverá incluir cobertura para esses riscos.

Tal como para os Seguros de Vida, é importante analisar a oferta do mercado e pedir várias propostas de apólices a diferentes companhias de seguros, corretores ou mediadores.

A fim de fazer uma simulação realista da apólice, os principais dados que deve recolher sobre as características do imóvel incluem:

  • Ano de construção;
  • Localização do imóvel (isto irá determinar o risco de algumas ocorrências naturais);
  • O valor do conteúdo;
  • Presença ou ausência de sistemas de alarme e protecção contra roubo;
  • Vigilância no edifício ou na vivenda.

SEGURAR AS SUAS POSSES – FUNCIONALIDADE OPCIONAL DO SEGURO DE RECHEIO

Como uma característica opcional, a não subestimar, o Seguro de Recheio oferece a possibilidade de proteger os seus pertences ou bens pessoais e todo o mobiliário existente na casa (Seguro de Recheio).

O valor do capital segurado no Seguro de Recheio equivale ao custo de substituição dos bens.

Na proposta de seguro, todos os objectos a serem segurados e o seu valor devem ser claramente identificados. Se houver bens que sejam raros ou de valor superior como obras de arte e jóias, estes devem ser especificamente identificados. Isto pode ser feito através de fotografias e descrições das suas características, acrescentando a um valor atribuído por peça – nomeadamente com recibos que provem a compra e a propriedade dos objectos.

Em caso de sinistro, o ónus da prova cabe ao segurado, que tem de provar que o dano (tal como um roubo ou um acto de vandalismo) ocorreu e que o bem lhe pertencia ou estava sob a sua custódia. Daí a importância de conservar toda a documentação que prove a existência e o valor dos bens segurados.

QUAL O CAPITAL SEGURADO NO SEGURO MULTI-RISCO?

Ao subscrever um seguro Multi-Risco, o segurado é responsável por estabelecer, no início e ao longo do período de duração do contrato, o montante do capital segurado – o montante máximo que a empresa pagará em caso de sinistro. Mesmo que os danos causados à sua casa sejam superiores ao capital segurado para o risco coberto, a companhia de seguros pagará apenas o montante contratado.

Este capital deve corresponder ao valor total da reconstrução. Assim, ao fazer quaisquer melhorias ao imóvel, o segurado deve contactar a companhia de seguros ou o banco para actualizar esse valor e garantir a cobertura total.

No caso de casas ou edifícios a serem demolidos ou expropriados, o capital segurado é igual ao seu Valor Patrimonial Tributário. Este valor, expressando o valor real de um imóvel num determinado ano, está estabelecido no Código Municipal do Imposto Predial (CIMI) e pode ser consultado na Caderneta Predial (o documento que contém todas as informações fiscais relevantes sobre o imóvel).

Sabendo que, depois de ler este guia completo do Seguro de Habitação em Portugal, estará muito melhor preparado para fazer as melhores escolhas possíveis para a sua casa e família, compreendemos que poderá precisar de ajuda ao longo do processo. Nós, no Pearls of Portugal, podemos fornecer-lhe um serviço completo e dedicado de agente de compras.

No que respeita aos Seguros de Habitação, simplificaremos todo o processo de procura, pondo-o em contacto com os nossos parceiros de confiança em seguros, conseguindo assim o melhor negócio para impulsionar as suas poupanças e conceder-lhe a segurança de que necessita para a sua propriedade.

Agende já uma consulta gratuita com um dos nossos peritos!

How can we help you?

Send us a message

Como o podemos ajudar?

Envie-nos uma mensagem

não perca ofertas ou notícias!

Subscreva a nossa newsletter e não perca as últimas notícias e ofertas!