Regime Fiscal RNH (Residente Não Habitual)

O NHR (Residente Não Habitual) é um programa fiscal em Portugal, destinado a investidores e profissionais altamente qualificados. Foi introduzido pela Lei Fiscal Portuguesa em 2009, com o objectivo de aumentar a competitividade internacional. Tem provado ser muito bem sucedido na atração de indivíduos com capital independente, com cerca de 23.000 beneficiários até 2022.

Vamos encontrar o investimento perfeito para si em Portugal

O programa permite aos indivíduos qualificados beneficiarem de um estatuto fiscal especial com certas isenções fiscais e taxas fixas. Tal como retratado acima, o regime de NHR permite uma taxa de imposto de 20% sobre o rendimento. Para pensionistas do sector privado, pode mesmo haver uma isenção fiscal.

Quais são as vantagens do estatuto de RNR (Residente Não Habitual) em Portugal?

  • Residência num país membro da UE na lista branca
  • Não há exigência de permanência mínima em Portugal (mas deve ter-se o cuidado de evitar a residência fiscal considerada noutro país)
  • Isenção de impostos sobre os seguintes tipos de rendimentos de origem não portuguesa durante 10 anos:
    • Dividendos
    • Juros
    • Rendimentos de bens imóveis
    • Ganhos de capital provenientes da venda de bens imóveis, acções que derivam mais de 50% do seu valor de bens imóveis, e navios/aeronaves operados no tráfego internacional
    • Royalties e outras receitas provenientes do know-how (com algumas excepções)
  • Lucros das empresas e do trabalho independente derivados das profissões elegíveis 
  • Capacidade de pagar impostos a uma taxa fixa de 20% durante pelo menos 10 anos sobre rendimentos do trabalho de origem portuguesa, taxas, lucros, e royalties, se derivados de ocupações qualificadas
  • Uma taxa fixa de 10% durante pelo menos 10 anos sobre pensões e remunerações semelhantes auferidas no estrangeiro
  • Passagem de riqueza a um cônjuge, parceiro vitalício, e descendentes directos ou ascendentes sem pagamento de impostos sobre heranças ou doações

nhr portugal

Quais são as desvantagens do estatuto NHR?

  • Exclusão de muitas profissões do regime (ver here)
  • Só se pode aplicar ao indivíduo
  • É não prorrogável para além do período de 10 anos 

Quais são as condições para obter o estatuto de residente não-habitual?

Para obter o estatuto de RNH em Portugal terá de:

      • Tornar-se residente fiscal no país, sem nunca ter beneficiado do regime de RNH
      • Não ter sido residente fiscal em Portugal nos cinco anos anteriores
      • Ter uma profissão de alto valor acrescentado (ver aqui)

Quais são os passos para obter o estatuto de RNR?

  • Obter uma autorização de residência
    • Se é um cidadão fortenão residente na UE, terá de obter uma autorização de residência através do programa Visa
    • Se for cidadão da UE/EEA/Suíça, tudo o que precisa de fazer é registar-se na sua Câmara Municipal local. A taxa é de cerca de 16 euros.
  • Número de contribuinte português (NIF) >li>
  • Registar-se como residente fiscal em Portugal. Isto pode ser feito num escritório de “Finanças” ou automaticamente quando compra um imóvel no país ou permanece por mais de 183 dias
  • Requerir o estatuto de RNH até 31 de Março do ano seguinte
  •  

Recomendamos vivamente entrar em contacto com um contabilista ou advogado especializado que possa analisar a sua situação particular. No entanto, se planeia candidatar-se sozinho, eis como se faz:

Candidatar-se sozinho ao programa Portugal NHR

A forma mais fácil de o fazer é online através de ‘Portal das Finanças‘.

      1. Registar-se no ‘Portal das Finanças’. Vai precisar do seu NIF, endereço, número de telefone e e-mail. Uma senha ser-lhe-á enviada num curto período de tempo.
      2.  Entrar na sua conta
      3. Vá a ‘Aceda aos Serviços Tributários’, depois ‘Entregar Pedido’, depois ‘Inscrição Residente Não Habitual’
        1. Prova de que não foi residente fiscal em Portugal nos últimos 5 anosSer-lhe-á pedido que apresente os seguintes documentos:
        2. Contrato de arrendamento ou prova de compra de propriedade
        3. Reembolsos fiscais dos 5 anos anteriores

Pode ser-lhe pedido que apresente mais provas.

(1) Taxa fixa de imposto. Os residentes podem escolher estar sujeitos às taxas de imposto progressivas.

(2) As taxas de imposto progressivas variam entre 14,5% e 48% (para rendimentos superiores a 80,640 euros). É igualmente aplicável uma sobretaxa de solidariedade para rendimentos superiores a EUR 80.640.

(3) As isenções dependem da convenção fiscal em causa e desde que o país estrangeiro não seja considerado um paraíso fiscal.

(4) Taxa de imposto fixa para profissionais de alto valor acrescentado.

Rendimentos auferidos no estrangeiro ao abrigo do NHR

Para os rendimentos obtidos no estrangeiro, é necessário distinguir entre:

  • Rendimentos profissionais e royalties
  • Rendimento das pensões
  • Renda passiva

Ao abrigo do regime RNH, as seguintes categorias de rendimentos e ganhos de capital de fontes estrangeiras (a menos que provenham de um paraíso fiscal na lista negra que não tenha um acordo de dupla tributação com Portugal), estarão isentas de imposto sobre o rendimento em Portugal se puderem ser tributadas no país de origem:

  • Dividendos, juros e rendimentos imobiliários
  • Mais-valias da venda de bens imobiliários
  • Royalties e rendimentos associados
  • Lucros derivados de ocupações elegíveis
Rendimentos empresariais e royalties

Os rendimentos do trabalho obtidos no estrangeiro estão isentos de IRS desde que sejam efectivamente tributados no Estado da fonte, em conformidade com o acordo de dupla tributação celebrado entre Portugal e este Estado.

Alternativamente, se não existir convenção de dupla tributação, os rendimentos serão isentos se forem tributados no Estado da fonte e não puderem ser considerados como auferidos em Portugal, de acordo com as regras estabelecidas no Código do IRS.

A aplicação do método de isenção de IRS aos tipos de rendimentos acima referidos depende, portanto, de condições diferentes: 

  • Se o rendimento for tributado (por exemplo, aplicando uma taxa de retenção na fonte) no Estado da fonte;
  • Se o rendimento é derivado da prestação de serviços (excluindo assim os rendimentos de qualquer actividade comercial, industrial, agrícola, florestal ou pecuária) ou de uma actividade de elevado valor acrescentado. 

Quando os rendimentos provenientes do emprego, do trabalho independente, ou de royalties não satisfazem as condições acima descritas, serão tributados de acordo com as regras gerais do PIT. Isto significa que os rendimentos estarão sujeitos às taxas progressivas de PIT até 48% e, quando aplicável, a taxa de solidariedade adicional acima mencionada será adicionada.

Em suma, os tratados de dupla tributação (DTAs) assinados por Portugal, ou com o modelo do tratado fiscal da OCDE, concedem a possibilidade de tributar a maioria das categorias de rendimento ao país de origem. No entanto, na prática, para atrair investimento estrangeiro, muitos países não fazem uso desta possibilidade para tributar não residentes.

Uma vez que a maioria destas categorias não será tributada em Portugal, porque podem ser tributadas no estrangeiro, na prática a maioria dos tipos de rendimentos de origem estrangeira será tributada à taxa zero.

Rendimentos de pensões

A fim de se alinhar com as normas internacionais de tributação, em 2020 o governo português alterou a taxa de imposto sobre os rendimentos das pensões de 0% para 10%.

Esta alteração não se aplica aos contribuintes que obtiveram o estatuto de NHR antes de 2020, o que significa que a sua pensão continua a ser tributada a 0%. 

Além disso, se preferirem, podem optar por agregar os seus rendimentos e eliminar a dupla tributação internacional através da aplicação do método do crédito de imposto.

Rendimento Passivo

O rendimento passivo é o rendimento do capital:

  • Interesse
  • Dividendos
  • Royalties (certos tipos)
  • Rendimentos de propriedade (bens imóveis)
  • Ganhos de capital

De acordo com as regras do RNH, os rendimentos passivos auferidos no estrangeiro estão isentos do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares, desde que:

  • Possam ser tributados no Estado da fonte ao abrigo de um acordo de dupla tributação
  • Se não houver acordo de dupla tributação, o rendimento em questão pode ser tributado pelo Estado da fonte, em conformidade com o Modelo de Convenção Fiscal sobre o Rendimento e o Capital da OCDE

Neste caso, os rendimentos não devem ser considerados ganhos em Portugal e não devem ser provenientes de um país, território ou região com um regime fiscal privilegiado claramente mais favorável que conste da lista aprovada pela lei portuguesa.

Há casos em que, embora os rendimentos obtidos no estrangeiro tenham a natureza de rendimentos de capital, não se enquadram na definição de “juros” ou “dividendos”. Estes casos requerem uma análise caso a caso.

Agende já uma consulta gratuita com um dos nossos peritos!

How can we help you?

Send us a message

Como o podemos ajudar?

Envie-nos uma mensagem

não perca ofertas ou notícias!

Subscreva a nossa newsletter e não perca as últimas notícias e ofertas!