Imposto sobre heranças

Existem impostos sobre os bens herdados em Portugal?

Sim, a lei portuguesa sobre sucessões prevê o pagamento de uma taxa de imposto de 10%, denominada Imposto de Selo, sobre o valor dos bens situados no país, que podem ser bens imóveis, bens móveis – tais como carros ou barcos, ou também, direitos de autor, acções ou obras de arte. No caso de bens imóveis, o Imposto de Selo é calculado sobre o VPT (Valor Patrimonial Tributário) do bem. Se o VTP for elevado, como 500.000,00 euros, o Imposto de Selo pode ser de alto valor e forçar os herdeiros a vender os bens herdados.

Vamos encontrar o investimento perfeito para si em Portugal

Quem são considerados herdeiros?

Desde 2009, o cônjuge ou parceiro não casado, descendentes – filhos e netos, e ascendentes – pais e avós estão isentos do Imposto de Selo. Este grupo familiar é chamado herdeiros legítimos. Embora não tenham de pagar imposto sucessório, estes membros da família têm de declarar ao IRS os bens recebidos. Isto significa que todos os outros beneficiários (por exemplo, irmãos ou sobrinhos da pessoa falecida) têm de pagar Imposto de Selo sobre a herança, fixado em 10% sobre os bens sujeitos a tributação. Quando não há determinação em contrário, há uma ordem em que os herdeiros são chamados à sucessão. E mesmo nos casos em que existe vontade, os herdeiros legítimos têm sempre a sua quota-parte salvaguardada. E, para que não haja dúvidas quanto ao significado de parentes, a lei faz uma hierarquia, estabelecendo a ordem em que os herdeiros são encontrados:

  • Cônjuge e descendentes;
  • Cônjuge e ascendentes;
  • Irmãos e os seus descendentes;
  • Outras garantias até ao quarto grau; Estatuto.

Se não houver parentes que possam ser herdeiros legítimos, a herança é dada ao Estado. Um facto importante quando se fala de heranças é que estas nem sempre são sinónimo de riqueza. As dívidas e impostos podem também fazer parte do legado deixado pela pessoa falecida. Os herdeiros podem recusar ou aceitar a herança, ficando assim livres destes encargos.

O que são os poderes sucessórios em Portugal?

Qualquer pessoa em Portugal tem o direito de ceder uma parte dos seus bens a quem desejar, mesmo que não estejam relacionados com ele. No entanto, o direito sucessório português não lhe permite distribuir todos os seus bens à sua vontade. Um mínimo de 50% dos bens pessoais de um falecido é oferecido em herança forçada ao cônjuge legítimo, descendentes biológicos e/ou adoptados. O facto é que só pode dispor livremente de 1/3 dos seus bens, deixando-os a quem quiser no seu testamento. Esta é conhecida como a parte disponível. Os restantes 2/3 são a parte não disponível (ou legítima) e devem ser divididos entre cônjuge, filho e antepassados (pais, avós e bisavós). Estes familiares têm sempre direito a uma parte na propriedade e não podem ser deserdados, independentemente da vontade do testador. Para saber se existia ou não um testamento no momento do óbito, deve-se solicitar um certificado ao Instituto de Registo e Notariado. Isto pode ser feito online. Se o proprietário da herança estiver em processo de divórcio no momento do óbito, o cônjuge não será incluído na herança.

A que bens se aplica o Imposto de Selo?

O Imposto de Selo aplica-se aos seguintes bens:
  • Bens imóveis rústicos e urbanos
  • Bens móveis sujeitos a registo (carros, motos, barcos, aviões, espingardas e pistolas)
  • Outros bens móveis (ouro para investimento, obras de arte, direitos de autor, contas bancárias, acções, entre outros)

A que bens é que não se aplica?

A lei exclui da tributação um conjunto de bens, nomeadamente:
  • Bens para uso pessoal, tais como vestuário, calçado e jóias;
  • Bens de uso doméstico, por exemplo, conteúdos da casa, excluindo obras de arte
  • Reclamações de seguros de vida;
  • Pensões e subsídios pagos pela Segurança Social;
  • Montantes investidos em fundos de poupança-reforma (PPR), fundos de poupança-educação (PPE), fundos de poupança-reforma/educação (PPR/E), fundos de poupança de acções (PPA), fundos de pensões ou fundos de investimento mobiliário e imobiliário;
  • Abono de família por morte do seu titular;
  • Doações feitas ao abrigo da Lei do Mecenato, por exemplo, a instituições de caridade ou religiosas;
  • Doações de bens ou valores monetários até ao montante de 500 euros;
  • Transferências a favor dos contribuintes de IRC, como é o caso de um empresário.

Como declarar os bens herdados à Autoridade Fiscal?

Deve apresentar a Certidão de Óbito ao Registo Civil no prazo de 48 horas e a Certificação dos Herdeiros. Geralmente é obrigação do herdeiro mais antigo tratar deste procedimento, o que pode ser feito no Registo Nacional ou no Balcão de Heranças. A família tem três dias para informar a Autoridade Fiscal da morte do seu parente. Têm de apresentar uma certidão de óbito e o documento de identidade do falecido e dos seus respectivos herdeiros. Além disso, se os herdeiros chegarem a um acordo, os bens podem ser divididos no registo ou no balcão de sucessões. Se não se chegar a um acordo, a questão terá de ser resolvida litigiosamente.

Como é calculado o imposto de selo? (Desenvolver? – Qual é o valor patrimonial tributável?)

Para determinar o valor tributável dos bens imóveis, a Autoridade Fiscal terá em conta o Valor Patrimonial Tributável. No caso de bens imóveis registados sem valor patrimonial ou com um valor não actualizado pelas regras do IMI, o IMT utilizará o valor determinado pela avaliação ou o valor declarado, o que for maior. Como já mencionámos, a herança está sujeita ao Imposto do Selo à taxa de 10%, e para calcular o imposto a pagar sobre a herança, a taxa é multiplicada pelo valor tributável do total dos bens recebidos. No caso de um bem, por exemplo, o valor corresponde ao seu valor patrimonial tributável (VPT). Imaginando um bem com um valor tributável de 500.000 euros, o montante do imposto de selo a pagar seria de 50.000 euros (500.000 euros x 10% = 20.000 euros). E no caso de outros bens – como é a tributação? (Pergunte à Adélia)

Quem herda um bem, que documentos receberão?

No caso de um bem:
  • Caderneta Predial
  • Certificado Permanente
  • Licença de Utilização
  • Certificado energético (se o imóvel foi adquirido há menos de 12 anos – verificar informações)

Agende já uma consulta gratuita com um dos nossos peritos!

How can we help you?

Send us a message

Como o podemos ajudar?

Envie-nos uma mensagem

não perca ofertas ou notícias!

Subscreva a nossa newsletter e não perca as últimas notícias e ofertas!