Procurar
Close this search box.

Como comprar um imóvel em Portugal

Comprar um imóvel em Portugal é mais popular do que nunca. Com uma economia estável, um regime fiscal favorável, uma indústria turística em crescimento, um clima fantástico e uma elevada qualidade de vida, Portugal oferece a pessoas de todo o mundo inúmeros incentivos para investir e viver no país. Por isso, quer seja um estrangeiro da UE ou de fora da UE, comprar uma propriedade em Portugal é uma excelente oportunidade para tirar partido destes benefícios e desfrutar de um modo de vida encantador.

Comprar um apartamento ou uma casa em Portugal como estrangeiro pode inicialmente parecer um processo stressante, mas com o nosso guia completo e a nossa ajuda, não terá qualquer problema!

Frederik Pohl
Frederik Pohl, CEO
Torne a compra da sua casa em Portugal fácil e sem stress
Contacte-nos agora!
Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
GDPR compliance1
GDPR compliance2
Newsletter

Portugal é a escolha certa para mim?

Tanto os estrangeiros da UE como os de fora da UE são bem-vindos para investir no sector imobiliário português. De facto, não existem restrições aos investimentos estrangeiros, e o país facilita a compra de imóveis em Portugal como estrangeiro, proporcionando um processo transparente e direto. Se você está pensando em investir em imóveis em Portugal, aqui estão algumas razões que podem ajudá-lo a dar o salto:

  • Economia estável: A economia de Portugal é muito estável e se recuperou bem da crise financeira de 2008.
  • Impostos favoráveis: O país oferece aos investidores impostos justos, incluindo uma taxa reduzida de imposto sobre as sociedades e isenções fiscais para certos investimentos.
  • Indústria do Turismo em Crescimento: Com mais de 30 milhões de turistas a visitar o país todos os anos, Portugal é um destino de viagem de topo. Isto cria oportunidades para investir na indústria do turismo, incluindo em empreendimentos hoteleiros e imóveis para arrendamento.
  • Alta Qualidade de Vida: O custo de vida de Portugal, o estilo de vida descontraído, a diversidade paisagística e a boa comida são benefícios significativos para muitos estrangeiros.

Imobiliário em Portugal 2024: Como está

2024 é uma boa altura para investir no mercado imobiliário português. Há anos que tem vindo a crescer de forma constante, tal como o resto da Europa. Isto reflecte-se no preço das casas em todo o país, mas especialmente nas cidades maiores. Devido ao aumento dos preços da habitação (mais a inflação e a falta de novas construções), as vendas de casas em Portugal caíram ao longo de 2023 para o nível mais baixo em sete anos. No primeiro trimestre de 2024, esta tendência abrandou o ritmo de crescimento do custo da habitação no país. Durante este período, as casas à venda em Portugal estavam apenas 1,9% mais caras do que nos últimos 3 meses de 2023. Em comparação com o início de 2023, os preços das casas aumentaram 6,4%. O preço médio de compra nacional neste momento é de 2.160€/m2 mas, claro, a conversa é diferente quando se trata das regiões mais procuradas, como Lisboa, Porto e Algarve, que também assistiram a uma diminuição do número de casas à venda.

Quais são as zonas mais baratas de Portugal?

Regra geral, qualquer região do interior é menos cara do que o litoral. Em abril de 2024, os distritos de capitais mais baratos eram Guarda, Portalegre, Castelo Branco, Beja e Bragança, enquanto os mais caros são Lisboa, Porto, Faro e Funchal (ilha da Madeira).

House prices in Portugal
House prices in Portugal (April 2024). Source: idealista

Como posso escolher um local em Portugal?

Uma visita a Portugal é, obviamente, recomendada. Esta é a única maneira de saber qual a cidade ou vila portuguesa que realmente fala ao seu coração. Mas estes são alguns faróis gerais:

  • Algarve (distrito de Faro): para os reformados que procuram céus ensolarados, bom tempo e praias quentes ou aqueles que procuram comprar uma casa de férias;
  • Lisboa: para as pessoas da cidade grande e os amantes da cultura;
  • Porto: também para os citadinos, só que em menor escala;
  • Setúbal: grande cidade próxima de Lisboa;
  • Aveiro, Coimbra, Braga, Beja, Vila Real: cidades mais pequenas, perfeitas para quem procura um espírito comunitário com todas as comodidades por perto. Todas elas são também muito populares entre os estudantes universitários.
  • Guarda, Portalegre, Castelo Branco, Viseu: o verdadeiro interior do país. Estes distritos são muito mais baratos, com muitas casas antigas para renovar. Também são óptimos para os amantes do inverno, pois é frequente nevar aqui.
  • Santarém: também no interior, mas mais povoado e mais quente;
  • Viana do Castelo, Bragança: situados mesmo no Norte de Portugal, estes distritos oferecem preços mais baratos e proximidade de Espanha. São também muito tradicionais, de certeza que vai encontrar comunidade aqui;
  • Leiria: Perfeito para quem procura uma casa de praia por mais barato, já que este distrito está localizado bem na costa. (Atenção: a água será um pouco fria!).
Como devo investir em imóveis em Portugal e onde?

Isso depende de muitos fatores, mas o principal é definitivamente o orçamento. Estas são algumas opções rentáveis:

Investir em alojamento turístico

O turismo em geral desempenha um papel importante na economia portuguesa. De acordo com o World Travel & Tourism Council (WTTC), Portugal é o 5º país com maior contribuição do turismo para o PIB e prevê-se que os números aumentem na próxima década. Isto significa que investir em alojamento de curta duração é sempre uma opção bastante segura. Pode fazê-lo através de conglomerados hoteleiros, resorts ou comprando uma casa para a inserir no Alojamento Local.

As regiões mais rentáveis são, naturalmente, aquelas onde o turismo é mais prevalecente – Algarve, Lisboa, Porto, Madeira, Açores e toda a costa. Como já foi referido, estas são também as zonas mais caras do país. Se tiver o dinheiro, opte por elas. Caso contrário, pode aplicar a mesma prática comercial a cidades mais baratas e mais pequenas que ainda estão em expansão com o turismo: Aveiro, Coimbra e Nazaré são algumas boas opções.

Também pode optar por investir em áreas mais nicho – mas ainda assim lucrativas – como o turismo rural. É quando se compra uma propriedade (normalmente) tradicional e se vende às pessoas a ideia de paz e sossego, longe da vida agitada da cidade – é algo que muita gente procura. Áreas perto de rios, lagos e natureza são perfeitas para isso: Gerês, Alqueva e Amarante são alguns exemplos.

Claro que também há sempre a opção clássica: o arrendamento a longo prazo do seu imóvel. Estas são algumas zonas onde a percentagem de rentabilidade das rendas é mais elevada:

Área Rentabilidade das rendas %
Área Metropolitana de Lisboa 6%
Área Metropolitana do Porto 6,7%
Costa de Prata 6,1 a 5.3%
Algarve 5,6%
Cascais 5,6%
Sintra 6.3%

Comprar vs construir vs renovar em Portugal

Todas estas opções têm muitos benefícios e, no final do dia, tudo se resume aos seus desejos pessoais. Comprar uma propriedade já construída é, naturalmente, mais fácil, uma vez que a estrutura está lá e só precisa de lhe dar os seus pequenos ajustes.

Construir de raiz é um processo mais complicado: tem de procurar um lote de terreno disponível, confirmar com o governo local (‘Câmara Municipal‘) se é possível construir, contratar um arquiteto e engenheiros civis para planear o seu projeto e depois obter a aprovação do município local novamente – isto pode levar meses. Depois disso, há obviamente os problemas típicos da construção – atrasos, falta de materiais, etc. É por isso que deve ter muito cuidado ao assinar o contrato e pesquisar quem/quais as empresas a contratar. Mas os prós são claros: construir a casa dos seus sonhos do jeito que você quer, tudo ajustado ao seu gosto. Esta opção faz mais sentido para quem está a pensar mudar-se para Portugal para sempre.

Outra opção muito popular – especialmente nos dias de hoje – é renovar uma casa antiga e tradicional nas zonas mais rurais de Portugal. Este fenómeno é particularmente prevalente no Youtube, onde muitas famílias documentam a sua aventura de renovação para audiências crescentes que vivem vicariamente através delas. Esta é uma opção fantástica se gosta de história, tradição, paz e um bom e velho projeto de paixão e procura mudar-se para Portugal a longo prazo ou ter uma casa de férias aqui.

O processo de compra de uma casa em Portugal

Procurar a assistência de um agente / corretor de compradores profissional em Portugal

Navegar na compra de uma casa em Portugal é sempre um pouco desafiante, mesmo para os locais – que normalmente também dependem de agentes imobiliários. Como estrangeiro, deve definitivamente deixar um agente de compras tratar da sua situação. Na Pearls of Portugal, atendemos cada cliente de uma forma altamente personalizada, analisando cuidadosamente os seus desejos e necessidades. Por exemplo, se também pretende mudar-se para Portugal, aconselhamo-lo sobre as suas opções de visto e colocamo-lo em contacto com os nossos parceiros advogados de confiança, além de lhe arranjarmos o seu NIF (Número de Identificação Fiscal Português) e conta bancária em Portugal. Com um parceiro imobiliário especializado como a Pearls of Portugal, o seu processo de compra irá certamente decorrer sem problemas – desde a obtenção dos documentos necessários, visitas, negociações e, finalmente, os contratos. Vamos analisar cada passo:

Reunir os seus documentos

NIF: Um NIF é o seu número de contribuinte pessoal em Portugal. Uma vez que é absolutamente necessário para quase tudo, deve tratar de o obter imediatamente. Custa cerca de 15€, e não precisa de ser residente para o obter. Também pode obter o NIF através dos serviços online, que custa cerca de 120€. Pode obtê-lo dirigindo-se à repartição de finanças local (Finanças), através do seu advogado ou de um contabilista fiscal português. É muito mais fácil se nomear um representante fiscal que receberá toda a correspondência da administração fiscal em seu nome. Na Pearls of Portugal, tratamos disso rapidamente para si.

Conta bancária portuguesa: Isto torna muito mais fácil a transferência de dinheiro do seu país de origem, sem necessidade de pagar taxas extravagantes. Pode consultar o nosso guia de bancos portugueses para obter conselhos sobre qual o banco que faz mais sentido para si.

Obter uma hipoteca em Portugal como estrangeiro

Em Portugal, o empréstimo hipotecário é regulado principalmente pelo Banco de Portugal, o banco central de Portugal. Os estrangeiros são obrigados a demonstrar prova de residência, geralmente sob a forma de um visto válido ou de uma autorização de residência. Além disso, os bancos podem exigir que tenha um bom historial e uma boa pontuação de crédito e que forneça documentação que comprove a sua estabilidade financeira.

Tenha em atenção que os bancos portugueses não costumam oferecer hipotecas que cubram mais de 70% do valor de um imóvel. Isto significa que terá de fornecer um capital próprio de pelo menos 20%-30% do valor total do imóvel. Este depósito demonstra igualmente a sua estabilidade financeira e o seu empenhamento no empréstimo.

Em termos de língua, seria útil se falasse português, mas muitos bancos também oferecem os seus serviços em inglês. Naturalmente, as hipotecas aqui são em euros, e se a sua propriedade de investimento em Portugal é uma segunda casa ou uma casa de férias enquanto permanece residente no seu país de origem, então o seu rendimento pode ser numa moeda diferente. Isto pode funcionar a seu favor, dependendo dos mercados cambiais. A maioria dos créditos hipotecários em Portugal segue a Euribor da zona euro e oferece a Euro Interbank Offered Rate. Não é raro que os bancos ofereçam os seus créditos hipotecários com uma margem fixa acima da Euribor. As hipotecas de taxa fixa não são muito populares em Portugal, mas deve definitivamente analisar a recente flutuação das taxas de juro antes de tomar uma decisão.

Faz sentido tratar da hipoteca potencial antes de começar a procurar casa. Em Portugal, tem de pagar a sua hipoteca dentro do período de tempo acordado. Isto significa que o banco irá calcular quanto tem de pagar todos os meses e quanto rendimento variável tem para determinar se tem rendimento suficiente para um crédito e qual o montante do crédito.

Visitas

Depois de decidir que tipo de propriedade pretende e em que cidade ou área geral, o agente de compra designado para o seu caso começará a enviar-lhe propriedades que satisfaçam os seus critérios. Depois de escolher os seus favoritos, o seu agente embarcará consigo na viagem de visita. Aqui estão alguns conselhos gerais para quando estiver a visitar as propriedades:

  • Leve o seu tempo: Não se sinta pressionado a tomar decisões rápidas, especialmente durante a sua primeira visita. Leve todo o tempo que precisar para ver várias propriedades e compará-las para garantir que toma a melhor decisão de investimento.
  • Tome notas detalhadas: Também pode dar a cada propriedade uma classificação com base na sua primeira impressão, facilitando a comparação e a classificação das propriedades quando terminar as suas visitas.
  • Inspeccione a propriedade minuciosamente: Preste atenção às condições, tais como paredes, tectos e pisos, e procure quaisquer sinais de humidade ou danos estruturais. Assim que tiver reduzido a sua pesquisa a uma ou duas propriedades, faça uma visita guiada com um profissional que possa detetar potenciais problemas.
  • Faça uma segunda visita: Se gostar de uma propriedade, veja-a uma segunda vez com um amigo ou familiar de confiança. Eles lhe darão uma nova perspetiva e o ajudarão a tomar a melhor decisão de investimento.

Durante a fase de visitas, terá acesso a um conjunto de informação que inclui:

  • Ano de construção
  • Número de quartos/ casas de banho
  • Área de construção e área do lote
  • Preço por m2
  • Número de dias no mercado
  • Evolução de preço
  • Características (piscina, garagem, aquecimento central, etc.)

CPCV (Contrato Promessa Compra e Venda) – Contrato Promessa de Compra e Venda

O CPCV, embora não seja obrigatório, é muito comum para a compra de um imóvel em Portugal. O contrato preliminar é legalmente válido mesmo sem a participação de um notário. Quando o assina, é comum pagar uma caução de cerca de 10% do valor total. Já no contrato preliminar, o vendedor deve fornecer o certificado energético e a inscrição no registo predial do imóvel. Desde janeiro de 2024, a Licença de Utilização deixou de ser necessária para a assinatura do CPCV. No entanto, como comprador, deve continuar a solicitá-la. Veremos isso mais adiante.

O CPCV contém normalmente uma cláusula temporal que obriga o comprador a concluir o contrato de compra e venda autenticado dentro de um determinado prazo. Normalmente, o prazo para acordar a nomeação do notário é de 2-3 meses. No entanto, este prazo é negociável e não tem de estar totalmente esgotado. As cláusulas ou condições importantes para a compra são também incluídas no contrato preliminar.

O comprador é responsável pelo seu adiantamento de cerca de 10% do preço de compra se desistir da compra sem justificação. Os vendedores são legalmente obrigados a reembolsar o potencial comprador duas vezes o adiantamento (ou seja, o adiantamento mais o mesmo montante como penalização contratual) se o contrato preliminar não for cumprido. No contrato preliminar, o vendedor deve também especificar ou enumerar os inquilinos existentes.

Embora não seja obrigatório, o CPCV é altamente recomendável, especialmente se faltarem documentos do lado do vendedor ou se precisar de um crédito bancário para a compra, por exemplo. Atenção: o CPCV é a reserva oficial de um imóvel em Portugal e é regulado por lei. Existem outros contratos de reserva que são emitidos por agências imobiliárias mas estes contratos não são recomendados, por não serem legalmente oficiais. Não os deve assinar.

Assinatura da Escritura

O contrato de compra e venda subsequente requer uma forma notarial, redigida por um advogado ou notário. Ao contrário de outros países, o registo consuetudinário do comprador no registo predial não é necessário para a mudança efectiva de propriedade. No entanto, o registo deve ser feito por um advogado ou notário no prazo máximo de dois meses após a compra. O registo custa cerca de 250 euros. É importante saber que a propriedade é transferida legalmente para o comprador quando o contrato é assinado. Esta transferência não depende do registo em nome do comprador. É por isso que tem de pagar com um cheque bancário português como comprador, que é uma forma de pagamento que não pode ser devolvida.

Configuração de serviços públicos e seguros

Depois de a propriedade ser oficialmente sua, tem de configurar os vários serviços públicos necessários em seu nome, se planeia viver lá – água, eletricidade, gás e Internet. Se tenciona arrendar a casa por um curto período de tempo, esta é também uma responsabilidade sua, ao passo que quando arrenda a sua propriedade, pode optar por deixar o inquilino tratar disso. De qualquer forma, a Pearls of Portugal está aqui para ajudá-lo a configurar quaisquer utilidades que você precisa – o mesmo com qualquer outro seguro que você possa estar pensando em obter.

Devo obter uma inspeção de casa em Portugal?

Uma inspeção de casa não é obrigatória em Portugal para uma venda de imóveis. No entanto, se estiver a comprar uma propriedade em segunda mão – a prática mais comum – então deve definitivamente obter uma inspeção da casa por um especialista, a fim de descobrir se existem quaisquer falhas importantes na propriedade antes de assinar o CPCV ou escritura. O nosso guia de inspeção de casas pode ajudá-lo a compreender melhor a importância deste assunto.

Que documentos são necessários para comprar uma propriedade em Portugal?

  • Bilhete de identidade ou passaporte
  • Comprovativo de residência
  • NIF
  • CPCV, se tiver sido assinado
  • Caderneta Predial (registo nas finanças)
  • Certidão Permanente de Registo Predial
  • Licença de Habitação: recomendada mas já não obrigatória desde janeiro de 2024. Este documento é emitido pela câmara municipal – confirma que uma propriedade foi submetida a uma inspeção e cumpre todos os requisitos legais para habitação.
  • Certificado Energético (Certificado Energético): Todos os imóveis em Portugal devem ter um certificado energético válido (normalmente com validade de 10 anos). Este certificado é emitido pela Agência para a Energia (ADENE) e é fornecido pelo vendedor.
  • Escritura de compra e venda. Este documento comprova a propriedade legal do imóvel e é entregue ao comprador pelo vendedor. Certifique-se de que o título de propriedade é verificado por um advogado para garantir que a propriedade tem um título claro.
  • Plantas baixas: Estas são as plantas baixas que estão disponíveis para o arquiteto ou empresa de construção. Na maioria dos casos, também podem ser obtidas na câmara municipal.
  • Relatório de balanço do condomínio: A partir de abril de 2022, todos os apartamentos devem comprovar o pagamento das taxas e impostos prediais ao condomínio do prédio;
  • Ficha Técnica da Habitação (FTH) – Plantas técnicas do imóvel.
Comprar sem Licença de Utilização (Licença de Habitação)?

A simplificação das licenças urbanísticas, uma lei aprovada em janeiro de 2024, veio “simplificar” as formalidades relacionadas com a compra e venda de casas. Concretamente, deixou de ser obrigatória a apresentação da Ficha Técnica da Habitação (FTH) e da Licença de Utilização aquando da assinatura do CPCV.

Esta medida é vantajosa na medida em que permite que mais imóveis entrem no mercado imobiliário e simplifica, de certa forma, o processo de compra, uma vez que são menos dois documentos que tem de esperar e pagar, tornando também a compra global um pouco mais barata. No entanto, como comprador, deve sempre exigir que estes documentos lhe sejam apresentados. É do seu interesse garantir que tudo está certo com a propriedade que está a comprar e estes dois documentos podem confirmar isso. Comprar sem Licença de Utilização é apenas abrir a porta a problemas futuros – não vale a pena, especialmente como estrangeiro. Como o agente de compras mais experiente em Portugal, não o recomendamos.

Documentos necessários para comprar uma casa em Portugal
Documentos necessários para comprar uma casa em Portugal

Quais os impostos a pagar quando se compra uma propriedade em Portugal?

Ninguém gosta de lidar com impostos, mas felizmente, o sistema fiscal em Portugal é direto e fácil de usar. Aqui está o que precisa de saber:

IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis): Imposto sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis

É um imposto que incide sobre a transmissão da propriedade e é calculado com base no preço de compra do imóvel. O IMT tem uma escala móvel de 0%-8%, dependendo se a propriedade é uma casa de férias ou de investimento ou a sua residência fiscal principal em Portugal. Para ambos, o imposto de compra é calculado pelo valor de compra, com uma taxa fixa de 6,5% para terrenos e edifícios. Para imóveis de valor inferior a 97 064 euros, não há imposto de transmissão. O imposto de compra deve ser pago no ato da escritura, e os seus advogados ajudá-lo-ão no processo de requerimento e pagamento.

Imposto de Selo

O Imposto de Selo é um imposto sobre transacções imobiliárias que afecta os compradores de imóveis e deve ser pago no ato da escritura. É aplicado a todos os documentos relacionados com imóveis, tais como escrituras, contratos e hipotecas, e é pago pelo comprador a uma taxa fixa de 0,8% do valor fiscal oficialmente registado do imóvel.

IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis): Taxas ou Impostos Municipais

Todos os anos, os proprietários portugueses têm de pagar impostos municipais (IMI) com base no valor tributável da sua propriedade. Este valor é fixado pelo serviço de finanças local e é normalmente inferior ao valor de compra. Não importa se é estrangeiro ou português, a taxa de imposto aplica-se igualmente. A taxa do IMI pode variar entre 0,3% – 0,45% dependendo do valor de avaliação do imóvel e pode ser paga em 2 ou 3 prestações. O IMI é pago a 100% pela pessoa que é o proprietário oficial de uma propriedade em Portugal no dia 31 de dezembro do respetivo ano.

Outros custos específicos associados à compra de uma casa em Portugal

  • Taxas legais: Os honorários legais variam tipicamente entre 2%-3% do preço de compra. Cobrem a elaboração do contrato de compra e venda, a realização de due diligence na propriedade e o registo da propriedade junto das autoridades portuguesas;
  • Taxas Notariais: As taxas notariais em Portugal rondam normalmente os 2%-3% do preço de compra e cobrem o custo de serviços como testemunhar a assinatura do contrato de compra e venda e registar a propriedade junto das autoridades portuguesas;
  • Seguro de Propriedade: Todas as propriedades em Portugal devem ter um seguro de propriedade, que normalmente custa até 0,5% do preço de compra. Este seguro cobre o custo de reparações e manutenção, bem como a responsabilidade por quaisquer danos causados a terceiros;
  • Taxas de Agente Imobiliário: Um agente imobiliário pode poupar-lhe tempo e normalmente exigirá uma taxa de comissão de cerca de 5%-6% do preço de compra da propriedade;
  • Inscrição no Registo Predial: Cerca de 250€;
  • IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado): para novas construções.

Como rentabilizar o seu imóvel em Portugal

Como já foi referido anteriormente, se não pretende mudar-se para o imóvel que adquiriu, pode optar por alugá-lo a curto prazo – através do Alojamento Local – ou alugá-lo a longo prazo a um inquilino. O alojamento turístico pode ser mais rentável para si (dependendo da localização da sua casa), mas também há mais custos e possivelmente mais stress envolvido – limpeza, manutenção e muitas pessoas diferentes a utilizar o espaço e possivelmente a danificá-lo mais rapidamente. Se tiver orçamento, isto pode ser resolvido através da contratação de uma empresa de gestão de Alojamento Local. Basta contactar a Pearls of Portugal e nós podemos tratar disso para si.

Obter uma licença AL é um pouco mais difícil hoje em dia, uma vez que existem restrições em várias cidades, mas este assunto está prestes a ser abordado pelo novo governo português. No entanto, se a sua propriedade estiver localizada num local popular, por exemplo, Lisboa ou Funchal (capital da Madeira), o arrendamento a longo prazo pode ser muito rentável e possivelmente menos stressante para si em muitos aspectos.

Se a sua casa se situa numa cidade universitária (Lisboa, Porto, Braga, Coimbra, Aveiro, Vila Real, …), existe também a possibilidade de arrendar individualmente os quartos a estudantes. Esta opção também pode ser mais vantajosa do que o aluguer do apartamento como um todo, mas tende a ter mais problemas.

Quais são os melhores locais para comprar imóveis em Portugal?

Portugal não se tornou apenas um destino cada vez mais popular para turistas, mas também para se mudar, reformar e investir em geral. Estes são alguns dos sítios que recomendamos em Portugal:

Lisboa

Muitas pessoas consideram a capital como a melhor cidade para viver em Portugal. Lisboa pode ser mais cara do que as áreas rurais em termos de compra de imóveis, no entanto, oferece muito em troca. É um lugar incrível para se viver se você é uma pessoa da cidade, devido às suas cenas culturais e gastronômicas sempre prósperas. Além disso, é extremamente cosmopolita, com muitas pessoas diferentes de todo o mundo vivendo e visitando aqui todos os dias. Por ser a cidade mais cara de Portugal, é também óptima para investimentos.

Lisbon. Sent in for our Photo Contest. ©Carolina Mira
Marinha beach, Algarve. Sent in for our Photo Contest ©Flora Leiria
Algarve

A região do Algarve, na costa sul de Portugal, é conhecida pelas suas praias solarengas, campos de golfe e resorts de luxo, o que a torna um dos destinos turísticos mais populares do país (particularmente no verão) e um dos melhores locais para viver em Portugal como expatriado, uma vez que a comunidade estrangeira é enorme aqui. Pode optar por comprar uma casa de férias, como uma moradia tradicional portuguesa ou um apartamento moderno em cidades como Faro, Albufeira, Tavira e Vilamoura.

Porto

Depois de Lisboa, o Porto é a segunda maior cidade do país. É menos povoada e mais pequena, mantendo um espírito mais local e típico, especialmente nos bairros um pouco fora das principais zonas turísticas. Tem uma gastronomia fantástica, paisagens deslumbrantes e um cenário empresarial em crescimento, o que a torna perfeita para se mudar ou para investir.

Porto, Portugal. Sent in for our Photo Contest ©Mara Correia
Porto, Portugal. Sent in for our Photo Contest ©Mara Correia
buying a property in portugal
Torreira, Aveiro. Sent in for our Photo Contest. ©Tatiana Ramos
Costa de Prata

Este troço de costa está localizado a norte de Lisboa e apresenta belas praias e aldeias históricas, mais locais, como Nazaré, Costa Nova, Peniche e Ericeira. A Costa de Prata tem um forte mercado de arrendamento para alugueres de férias e alugueres de longa duração e é também um dos melhores locais para os expatriados viverem em Portugal, especialmente os reformados.

Gerês

O Parque Nacional da Peneda-Gerês, simplesmente conhecido como Gerês, é uma área protegida no norte de Portugal. Como o mais antigo e único parque nacional de Portugal, possui paisagens naturais deslumbrantes e rios incríveis, frescos e limpos (embora um pouco frio), tornando-o um destino popular para os amantes da natureza. Se preferir uma propriedade rodeada de montanhas, com um clima mediterrânico quente e comida tradicional, o Gerês é o local ideal para viver em Portugal.

Gêres
low density douro portugal
Douro Valleys. Sent in for our Photo Contest. ©Sara Pereira
Vale do Douro

A região do Douro, também conhecida como o “Vale Encantado”, oferece paisagens de cortar a respiração, adornadas com belas vinhas e grandes e encantadoras quintas – é aqui que são produzidas as uvas para muitos dos populares vinhos portugueses. Se o vinho é uma área que lhe interessa, investir num solar como este pode ser uma boa ideia.

Comporta

A costa da Comporta fica apenas a uma hora de carro a sul de Lisboa e faz parte da região do Alentejo. Possui pequenas aldeias ao longo da costa, incluindo o seu homónimo, que foi nomeado ‘o melhor local de praia secreto de Portugal’ por CN Traveler em dezembro de 2022. A região está repleta de quintas, pinheiros, campos de arroz, dunas de areia e deslumbrantes extensões de praias de areia branca que nunca estão superlotadas.

comporta

A Pearls of Portugal está aqui para ajudar

Os imóveis portugueses oferecem excelentes oportunidades para investir e viver. Se pretende comprar uma casa em Portugal, nós tratamos de todo o processo por si. Desde responder a perguntas como “Como é viver em Portugal?” a “Qual é o melhor sítio para viver em Portugal para expatriados?” e “Quanto custa viver em Portugal?”, fornecemos-lhe informações valiosas e guiamo-lo em cada passo do processo!

real estate

Configurador

Aqui tem a oportunidade de nos fornecer uma visão detalhada das suas ideias específicas para um investimento no sector imobiliário em Portugal.

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Passo 1 de 7
Em que tipo de propriedade está interessado?

Perguntas Frequentes

Sim, tem de identificar o seu estado civil quando compra uma casa em Portugal. Faz parte dos dados pessoais essenciais, de acordo com as leis portuguesas do casamento e do património.

Sim, pode comprar um imóvel sozinho, mas não pode vender o imóvel sozinho em Portugal.

Sim. Chama-se “Contrato promessa com Eficácia Real” e significa que existe um pré-registo da venda. Neste caso, tem de pagar o IMT e o Imposto Selo quando assina o CPCV. Se a venda acabar por não se concretizar, receberá os impostos de volta no prazo de 30 dias.

Yes. The market is regulated by the IMPIC (Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção).

Não, o agente de vendas não pode cobrar ao comprador. Isso é proibido por lei.

Não, uma oferta só é vinculativa quando se assina o CPCV ou a escritura.

Depende. Se houver uma cláusula no CPCV para este caso, então não. Caso contrário, sim. Se o seu crédito ainda não tiver sido aceite quando assinar o CPCV, certifique-se de que inclui esta cláusula no contrato.

As compras de casa devem ser efectuadas através de um cheque bancário português.

Durante a escritura, alguém do banco juntar-se-á à reunião. O comprador deve trazer dois cheques bancários – um para o banco e outro com o resto do montante para o vendedor (no caso de o preço de venda ser superior à hipoteca). O comprador entrega então o cheque bancário ao funcionário do banco e este entrega-lhe um certificado que prova que a hipoteca foi paga.

Sim. No entanto, as criptomoedas não são consideradas meios de pagamento oficiais – têm de ser efectuadas através de cheque.

Os agentes imobiliários em Portugal têm de estar registados no IMPIC e precisam de ter um número de licença AMI. Esta licença deve ser renovada todos os anos e os pormenores podem ser consultados online no sítio Web do IMPIC.

Tudo o que precisa de saber
Frederik Pohl
Frederik Pohl, CEO
Torne a compra da sua casa em Portugal fácil e sem stress
Contacte-nos agora!
Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
GDPR compliance1
GDPR compliance2
Newsletter

How can we help you?

English • Portuguese • Spanish • German • Italian •  French

Schedule a meeting for:

Real estate

Call us now

Send us a message

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Cumprimento do GDPR
GDPR compliance2
Newsletter

Como o podemos ajudar?

Inglês – Português – Espanhol – Alemão – Italiano – Francês

Marcar uma reunião para:

Imobiliário

Ligue-nos agora

Envie-nos uma mensagem

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Cumprimento do GDPR
GDPR compliance2
Newsletter
pearls of portugal

Não perca as ofertas e as novidades!

Subscreva a nossa newsletter e não perca as últimas notícias e ofertas!

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Interesses: